domingo, 15 de novembro de 2009

agora, quero que vás embora


hoje sei que não vais voltar para casa.
hoje sei que não vale a pena esperar por ti na minha cadeira de baloiço, que não vale a pena ir lá para fora olhar o luar e perguntar-me onde andas, porque hoje, sei que não vais voltar. e para ter a certeza de que nunca mais entras na minha casa, apesar da grande dor que isso me traz vou fechar a porta à chave e vou escondê-la debaixo do tapete da sala.
amanhã cedo, vou pegar no nosso colchão, nas tuas roupas, nas tuas cartas, nas minhas memórias e vou queimá-las. quero deixá-las bem no passado que é ainda o hoje. e porque te foste embora, quero-me ir embora também, porque tudo isto tem um bocadinho de ti, um bocadinho do que foste para mim. por não voltares hoje para casa, é que não te quero mais ver, não quero saber mais de ti. por não voltares hoje para casa, é que eu vou também desaparecer, e não voltar mais a casa. de que vale ficar neste álbum de memórias que apenas me trouxe desilusões contínuas? de que vale continuar neste caminho, que mais parece um carrossel sem fim? de que vale esse sofrimento? neste momento nem sequer te lembras que existo, e que tenho uma dor incessante no meu peito sem poder ser dissolvida nesse sorriso que ficou sempre no meu olhar. e sei que no fim de tudo isto, quando partir, o meu destino vai ser seguir o rasto de mais outra página de mágoa na minha vida. mas que seria da vida se não houvesse dor? a dor torna-me mais forte. e por isso, vou-me atirar ao riacho, e sentir o seu sabor doce, sentir os peixes contra os meus pés, e nadar na água gelada. quando de lá sair, encharcada, a tremer, saberei que estás por perto, porque sei que te dá uma dor no teu peito quando sentes que estou mal. mas quando voltares, irei-te mandar embora, porque hoje, não vais voltar para casa, então amanhã eu não quererei saber de ti.

12 comentários:

  1. Que texto com tanta magoa :|
    Gostei ,
    Desculpa a invasão '$

    ResponderEliminar
  2. "mas que seria de vida se não houvesse dor? a dor torna-me mais forte. e por isso, vou-me atirar ao riacho, e sentir o seu sabor doce, sentir os peixes contra os meus pés, e nadar na água gelada. quando de lá sair, encharcada, a tremer, saberei que estás por perto"
    arrepiei-me ao ler este texto. amo cada palavra que escreves, a sério.
    e sim, sabes que a dor te torna mais forte.
    tenho muitas saudades tuas e da tua força. nunca me deixaste cair, tu, fabi. tiveste sempre uma palavra para mim.
    amo-te e sinto muito a tua falta, quero que voltes para casa (L)

    quanto ao toque do meu blog, o teu também tem, como todos. é a magia de cada um *

    ResponderEliminar
  3. As tuas palavras são mágicas e obrigam-me a lê-las mais que uma vez. Diz muito de ti e do que sentes. Fantástico :)


    é inútil, não vale a pena...

    ResponderEliminar
  4. como fui capaz de amar alguém assim?

    ResponderEliminar
  5. agora vejo que a pessoa que eu amei, é um MERDAS! sem tirar, nem pôr.

    ResponderEliminar
  6. Nao vou porque não há sequer explicação para ele me tratar assim.

    ResponderEliminar
  7. Nada que agradecer ;)
    Antes de adormecer , tenho andando tão cansada que não há um 'antes de adormecer' xD Concordo plenamente contigo . (:
    Farei o mesmo :D

    ResponderEliminar
  8. Não estrangule o amanhã antes mesmo que ele apareça.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  9. Será qua vale a pena esperar pela pessoa que achamos que é o ideal pa nós? ! Espero que um dia nós consigamos ver o mundo passado como presente e um presente como futuro que ainda é passado! :$

    ResponderEliminar
  10. Desafio para ti , em
    http://diariodamiqui.blogspot.com/2009/11/trintaedois.html
    beijinho :D *

    ResponderEliminar