sábado, 15 de agosto de 2009

the most important?


Todos os passos que damos constroem o nosso futuro e o nosso dia-a-dia. Durante esse caminho adornado por pedras, pontes, cordas, flores que fazem com que a vida não seja apenas uma linha recta conhecemos novas pessoas que vão-nos marcar e vão fazer parte da nossa vida, e outras que apenas estão de passagem ou que nos tocam no ombro ao caminharem do lado contrário ao nosso. Vamo-nos conhecendo a nós próprios e descobrindo o porquê das pedras e das pontes existirem. Toda a vida tem um porquê, tem razões. Todos nós queremos ser algo ou alguém, e vamos aprendendo ao longo da nossa caminhada, sem direcção conhecida, mas sempre sempre com alguém de mão dada à nossa. A minha vida tem os membros da família mais importantes, os amigos mais importantes, as músicas mais importantes, os momentos mais importantes, os locais mais importantes, as falas que foram para nós mais importantes - todas essas coisas contribuíram para a direcção a que hoje seguimos. Eu já tive a pessoa mais importante na minha vida, já tive, digo bem. Agora continua a ser importante claro, mas já foi mesmo o mais importante, que se encontrava acima de tudo e de todos. Mas numa encruzilhada seguimos direcções diferentes e separámo-nos. Não tenho bem a certeza se foste feliz comigo, mas creio que sim. Para conseguirmos prosseguir temos de ter propostas, fazer escolhas, e ter oportunidades. Ultimamente a vida tem-me dado algumas oportunidades, mas todas elas com um senão, todas elas com uma nódoa negra pelo meio. Não, assim não consigo ser feliz, mas isso é um aparte. A ti a vida deu-te uma oportunidade de ouro, aceitaste-a e fizeste bem. Todos nós temos direito a ser felizes, não é? Quer seja com que seja. Ainda mais porque eu sei que a tua oportunidade foi merecida, das duas partes, e porque confio em quem agora cuida de ti, confio mesmo.
Existe um papagaio que me puxa sempre a frente, deixa-se ir pelo vento e quer fazer o mesmo comigo, não quer que me prenda ao passado e às minhas memórias, quer que eu olhe pelo meu futuro e quer que eu me alegre mais. Sei que um outro dia qualquer também hei-de ter a minha própria oportunidade pois o meu papagaio não se engana, ele apenas quer o meu bem. Salto por cima de pedras, colho flores, atravesso pontes com suaves abanões do vento e sem olhar para baixo e agarro nas cordas com toda a força para conseguir passar por cima de leões, cobras e o furioso rio, para assim passar para o outro lado do abismo e seguir sem setas, sem tabuletas, sem mapa. Um dia hei-de receber um abraço de alguém que me conhecerá. Secalhar até já conhece, não sei, ainda não veio ao de cima e eu não consigo ver. Ouço silêncio e vejo tudo preto. O saco está vazio e só existem migalhas sem valor algum. Um dia vou receber um abraço que me vai fazer dizer a mim própria "obrigada pela oportunidade, obrigada". Mas enquanto isso não acontecer, limito-me ao que agora é mais importante, ao que me agarro com todas as forças para me fazer respirar, para me fazer viver.
Estou bem assim, mas quero ser mais, quero um maior brilho, quero sentir mais entusiasmo, quero-me sentir amada, quero sentir-me realizada. Quero novamente aquelas expressões que o mais importante me fazia ter, quero sorrir daquela maneira, quero sentir o que senti, quero estar como estive todos aqueles dias. Quero felicidade pura.
just breathe

8 comentários: