segunda-feira, 15 de novembro de 2010

pequenos pedacinhos de algo

Achas que podes ficar comigo?
Sim, acho que posso ficar contigo mais um pouco.
Não me estou a referir a isso...
Então?
Fica comigo, simplesmente.
Não sei se...
Não sabes o quê?
Não sei se consigo estar tão perto de ti.
Nem eu.
Sabes?
Não sei, não quero saber. Só quererei saber se disseres que me amas primeiro.
Não posso.
Porquê?
Porque não estou preparado.
Não? Achei que esta era a altura certa. Meu pequeno príncipe, não reparas? Não sentes este zumbido nos teus ouvidos como eu sinto? As tuas entranhas não se moem nelas próprias? O coração não te palpita e te faz um alto no peito?
Não fazes força nos braços para não me abraçares? Os teus olhos não teimam em fugir de encontro com os meus? Não te sentes a tremer por todo o corpo?
É isso mesmo. Vejo que é recíproco.
É sim, meu amor.
Pensei que não estavas preparado.
A tua respiração ofegante nos meus ouvidos tirou-me as dúvidas. O medo dissipou-se.
Olha para mim. Vês-te nos meus olhos?
Sim.
Vou-te contar um segredo: é a tua imagem que paira sobre eles em todo o tempo. E o que vês não é apenas um reflexo. Já se tornou num fóssil. Até mesmo quando os tenho fechados ela sobrevoa sobre os meus sonhos. És sempre tu, meu amor. Sempre tu.
Porque é que nunca tive coragem?
De quê?
De dizer que te amo.
Ainda anseio pelo dia em que mo dirás directamente... Não me perguntes a mim. Pergunta a ti próprio.
Acho que tinha medo que me deixasses para trás.
A ti? Mas estás louco? Nunca na vida faria isso. Pensei que tivesses percebido... De todos os momentos em que estive perto de ti, só me apetecia dar-te a mão e puxar-te com força para um esconderijo só para nós os dois. Queria-te só para mim.
Silêncio.
Sinto-me mesmo um burro.
Não o és.
Amo-te. E sim, fico contigo. Para todo o sempre.
Prometes?
Não vale a pena prometer, sabes disso.
Pois sei. Ando a ficar farta de ler romances e sempre se sabe que não vale a pena haver promessas... Elas só existem para que as histórias pareçam mais bonitas, e é uma grande chatice.
E se eu te disser que farei os possíveis?
Acreditarei em ti.
Fico contente.
Também eu. Sabes uma coisa? Eu também te amo... Desde que me lembro.
Também tu? Porque fomos tão inocentes e não reparámos no nosso sentimento mútuo?
Acho que isso nem sempre se reconhece à distância.
Mas agora, o teu olhar diz-me tudo além do que me estás a dizer.
O que é que ele te está a dizer?
A verdade.

8 comentários:

  1. nada que já não saibas x) mas ainda bem que consegui expressa-lo. e eu de ti !

    ResponderEliminar
  2. Lindo, lindo, Lindo! O amor consegue ser tão perfeito. *

    ResponderEliminar
  3. está lindo minha querida, liiindo :o
    adorei e muito obrigada pelo comentário <3

    ResponderEliminar
  4. "A paixão passa. Passa sempre. A não ser que ela se torne num amor impossível e então nunca passa e tu vives uma vida inteira agarrada a uma imagem, a uma ilusão."

    ResponderEliminar